sexta-feira, 18 de abril de 2014

A Natureza da Cobra

Um mestre do Oriente viu quando uma cobra estava morrendo queimada e decidiu tirá-la do fogo, mas quando o fez, a cobra o picou. Pela reação de dor, o mestre o soltou e o animal caiu de novo no fogo e estava se queimando de novo. O mestre tentou tirá-la novamente e novamente a cobra o picou. Alguém que estava observando se aproximou do mestre e lhe disse:
— Desculpe-me, mas você é teimoso! Não entende que todas as vezes que tentar tirá-la do fogo ela irá picá-lo?
O mestre respondeu:
— A natureza da cobra é picar, e isto não vai mudar a minha, que é ajudar.
Então, com a ajuda de um pedaço de ferro o mestre tirou a cobra do fogo e salvou sua vida.
Não mude sua natureza se alguém te faz algum mal, não perca sua essência; apenas tome precauções.
Alguns perseguem a felicidade, outros a criam.
Preocupe-se mais com sua consciência do que com a sua reputação. Porque sua consciência é o que você é, e sua reputação é o que os outros pensam de você. E o que os outros pensam, não é problema nosso… é problema deles.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

O Menino e o Carvão

O garoto chega em casa pisando forte e diz ao pai:

- Estou com muita raiva do Lucas, papai! Ele me envergonhou na escola e agora eu desejo tudo de ruim pra ele!

O pai então o leva até o quintal, com um saco de carvão e diz:

- Filho, quero que jogue os pedaços de carvão naquele lençol que está pendurado no varal, como se ele fosse o Lucas.


O filho sem entender, mas empolgado com a brincadeira, faz o que o pai pediu.


Ao final, o garoto diz estar feliz por ter sujado uma parte do lençol, como se fosse o coleguinha.


O pai então o leva diante do espelho e para a surpresa do garoto, a aparência dele era tão preta, que mal conseguia enxergar os próprios olhos. O pai então concluiu:


- Veja meu filho, o mal que desejamos aos outros é como esse carvão. Ele pôde até sujar um pouco do lençol, mas na verdade o maior prejudicado foi quem o jogou.

sábado, 12 de abril de 2014

O Cachorrinho Preso

Um homem passou em frete a uma casa e viu um cachorro, preso por trás das grades do portão e pensou: Que pena, esse cachorro não tem liberdade. Nunca saberá o que é andar solto, sem correntes, livre para ir onde quiser. Coitado desse cachorrinho. Olha os outros cachorros na rua, como estão felizes, brincando com outros cachorros. Estão se divertindo.

Porém, aquele cachorro mesmo cachorro tinha um lar, uma família que o ama, estava com suas vacinas em dia, estava limpo, protegido contra o frio, o sol abrasador, bem nutrido e feliz com seu dono. Afinal, ele tem uma família que o cerca de carinho e proteção.

Então, este homem da ilustração é o Diabo. Ele quer convencê-lo de que as normas de Deus são muito restritivas, que lhe aprisionam, que lhe priva de alegria. Mas sabemos que isso é uma mentira. Sabemos que na verdade é apenas uma maneira sábia de Deus nos proteger contra os perigos desse mundo mal.

O Preço da Mentira

Certa vez um jovem foi a um homem sábio, pedir conselhos. O homem sábio disse que só queria saber uma coisa.

Ele propôs uma situação imaginária. Ele disse - “Imagine que você nunca seria pego e ninguém seria machucado. Ninguém perderia nada. Se estas circunstâncias fossem garantidas, você mentiria por $10,000 dólares?”

O jovem pensou um pouco e respondeu. “Sim, por $10,000, se ninguém saberia e ninguém seria machucado! Eu mentiria!” O sábio balançou a cabeça e disse. “Tenho outra pergunta. Você mentiria por dez centavos?”

Furioso, o jovem indagou “Que tipo de pessoa você acha que eu sou?!”

O sábio respondeu. “Eu já sei que tipo de pessoa você é. Estou apenas tentando estabelecer seu preço.”

jornal - Does God Exist? (Será que Deus Existe?) July/Aug 96, pp. 22-3

sábado, 22 de maio de 2010

Assim como um lápis..

O menino olhava a avó escrevendo uma carta.
A certa altura, perguntou: Você está escrevendo uma história que aconteceu conosco?
E por acaso, é  uma história sobre mim?
A avó parou a carta, sorriu, e comentou com o neto:
- Estou escrevendo sobre você, é verdade.
Entretanto, mais importante do que as palavras, é o lápis que estou usando.
Gostaria que você fosse como ele  quando crescesse.
O menino olhou para o lápis, intrigado, e não viu nada de especial.
- Mas ele é igual a todos os lápis que vi em minha vida! 
Tudo depende do modo como você olha as coisas.
Há cinco qualidades nele  que, se você conseguir mantê-las,
será sempre uma pessoa em paz com o mundo.

  • "Primeira qualidade: JEREMIAS 10:23; ISAÍAS 48:17. 
  • Você pode fazer grandes coisas, mas não deve esquecer nunca que existe uma Mão que guia seus passos.
  • Esta mão nós chamamos de Jeová, e Ele deve sempre conduzi-lo em direção a Sua vontade".


  • "Segunda qualidade: TIAGO 1:2,3.
  • De vez em quando eu preciso parar o que estou  escrevendo,
  • e usar o apontador. Isso faz com que o lápis sofra um pouco, mas no final, ele está mais afiado.
  • Portanto, saiba suportar dores, porque elas o farão ser uma pessoa melhor".


  • "Terceira qualidade: EZEQUIEL 33:11.
  • O lápis sempre permite que usemos uma borracha para apagar aquilo que estava  errado.
  • Entenda que corrigir uma coisa que fizemos não é necessariamente  algo mau, mas algo importante para nos manter no caminho da justiça".


  • "Quarta qualidade: 1 SAMUEL 16:7. 
  • O que realmente importa no lápis, não é a madeira ou sua forma exterior,
  • mas  o grafite que está dentro..
  • Portanto, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você".


  • Finalmente, a quinta qualidade do lápis: GÁLATAS 6:5-7.
  • Ele sempre deixa uma marca. Da mesma maneira, saiba que tudo que
    você fizer  na vida, irá deixar traços, e procure ser consciente de cada ação".

terça-feira, 27 de abril de 2010

A Ciência & A Bíblia

Um senhor de 70 anos viajava de trem, tendo ao seu lado um jovem
universitário, que lia o seu livro de ciências .
O senhor, por sua vez, lia um livro de capa preta. Foi quando o
jovem percebeu que se tratava da Bíblia e estava aberta no livro de
Marcos .
Sem muita cerimônia o jovem interrompeu a leitura do velho e perguntou:
O senhor ainda acredita neste livro cheio de fábulas e crendices?
Sim, mas não é um livro de crendices. É a Palavra de Deus. Estou errado?
Respondeu o jovem:
- Mas é claro que está! Creio que o senhor deveria estudar a História
Universal. Veria que a Revolução Francesa, ocorrida há mais de 100
anos, mostrou a miopia da religião.Somente pessoas sem cultura ainda

crêem que Deus tenha criado o mundo em seis dias. O senhor deveria
conhecer um pouco mais sobre o que os nossos cientistas pensam e dizem
sobre tudo isso.
- É mesmo? Disse o senhor.
E o que pensam e dizem os nossos cientistas sobre a Bíblia?
- Bem, respondeu o universitário, como vou descer na próxima estação,

falta-me tempo agora, mas deixe o seu cartão que lhe enviarei o
material pelo correio com a máxima urgência.
O velho então cuidadosamente abriu o bolso interno do paletó e
deu o seu cartão ao universitário.
Quando o jovem leu o que estava escrito, saiu cabisbaixo sentindo-se
pior que uma ameba.
No cartão estava escrito: Professor Doutor Louis Pasteur, Diretor
Geral do Instituto de Pesquisas Científicas da Universidade Nacional
da França.

" Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muita, nos aproxima".
Fato verídico ocorrido em 1892, integrante da biografia de Louis Pasteur.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Felicidade

feliz ...A felicidade é uma questão pessoal...'  Richard Bach

Durante um seminário para casais, perguntaram a uma das esposas:
- 'Seu marido lhe faz feliz? Ele lhe faz feliz de verdade?' Neste
momento, o marido levantou seu pescoço, demonstrando total segurança.
Ele sabia que a sua esposa diria que sim, pois ela jamais havia
reclamado de algo durante o casamento. Todavia, sua esposa respondeu
a pergunta com um sonoro 'NÃO', daqueles bem redondos!
 
- 'Não, o meu marido não me faz feliz'! (Neste momento o marido já
procurava a porta de saída mais próxima). 'Meu marido nunca me fez
feliz e não me faz feliz! Eu sou feliz'. E continuou: 'O fato de eu
ser feliz ou não, não depende dele; e sim de mim. Eu sou a única
pessoa da qual depende a minha felicidade. Eu determino ser feliz em
cada situação e em cada momento da minha vida, pois se a minha
felicidade dependesse de alguma pessoa, coisa ou circunstância sobre
a face da Terra, eu estaria com sérios problemas. Tudo o que existe
nesta vida muda constantemente: o ser humano, as riquezas, o meu
corpo, o clima, o meu chefe, os prazeres, os amigos, minha saúde
física e mental. E assim eu poderia citar uma lista interminável. Eu
decido ser feliz! Se tenho hoje minha casa vazia ou cheia:
sou feliz! Se vou sair acompanhada ou sozinha: sou feliz! Se meu
emprego é bem remunerado ou não: eu sou feliz! Sou casada, mas era
feliz quando estava solteira. Eu sou feliz por mim mesma. As demais
coisas, pessoas, momentos ou situações eu chamo de 'experiências' que
podem ou não me proporcionar momentos de alegria e tristeza. Quando
alguém que eu amo morre, eu sou uma pessoa feliz num momento
inevitável de tristeza. Aprendo com as experiências passageiras e
vivo as que são eternas como amar, perdoar, ajudar, compreender,
aceitar, consolar. Há pessoas que dizem:
hoje não posso ser feliz porque estou doente, porque não tenho
dinheiro, porque faz muito calor, porque alguém me insultou, porque
alguém deixou de me amar, porque eu não soube me dar valor, porque
meu marido não é como eu esperava, porque meus filhos não me fazem
felizes, porque meus amigos não me fazem felizes, porque meu emprego
é medíocre e por aí vai. Eu amo meu marido e me sinto amada por ele
desde o namoro e ainda mais depois que nos casamos. Amo a vida que
tenho, mas não porque minha vida é mais fácil do que a dos outros. É
porque eu decidi ser feliz como indivíduo e me responsabilizo por
minha felicidade. Quando eu tiro essa obrigação do meu marido e de
qualquer outra pessoa, deixo-os livres do peso de me carregar nos
ombros. A vida de todos fica muito mais leve. E é dessa forma que
consegui um casamento bem sucedido ao longo de tantos anos. Nunca
deixe nas mãos de ninguém uma responsabilidade tão grande quanto a de
assumir e promover sua felicidade.' SEJA FELIZ, mesmo que faça calor,
mesmo que esteja doente, mesmo que não tenha dinheiro, mesmo que
alguém tenha lhe machucado, mesmo que alguém não lhe ame ou não lhe dê
o devido valor. Peça apenas a Deus que lhe dê serenidade para
aceitar as coisas que você não pode mudar, coragem para modificar
aquelas que podem ser mudadas e sabedoria para conseguir reconhecer a
diferença que existe entre elas.